Mielomeningocele

A Mielomeningocele, também conhecida como espinha bífida aberta, é uma malformação congênita da coluna vertebral da criança em que as meninges, a medula e as raízes nervosas estão expostas. 

É comum seu aparecimento na coluna lombar, mas ela pode surgir em qualquer local da coluna. A lesão pode ser tratada, mas as sequelas da doença, infelizmente, não têm cura.

A criança normalmente perde a sensibilidade e a função motora dos membros abaixo do local lesionado. Com o crescimento do esqueleto, as sequelas podem gerar deformidades que necessitarão de tratamento!

A causa desta malformação ainda não é bem compreendida pela medicina, mas estudos recentes apontam para a combinação de fatores genéticos e ambientais, com histórico familiar e deficiência materna de ácido fólico durante a formação embriológica da coluna.

A criança com MM pode apresentar:
1- Dificuldade ou ausência de movimentos nas pernas;
2- Perda de sensibilidade para calor ou frio;
3- Incontinência urinária e/ou fecal;
4- Deformidades na coluna vertebral, pernas ou pés;
5- Hidrocefalia;
6- Alergia ao látex;
7- Fraqueza muscular das pernas, às vezes envolvendo paralisia;
8- Insensibilidade parcial ou total.

O diagnóstico normalmente é feito durante a avaliação morfológica ultrassonográfica do feto, antes do nascimento.

O tratamento é cirúrgico, e deve ser realizado nas primeiras 48 horas após o nascimento, a fim de corrigir o defeito coluna vertebral, protegendo o tecido neurológico contra condições que podem colocar a vida do bebê em risco.

Para retardar a progressão das sequelas musculoesqueléticas, a fisioterapia é uma importante aliada. Entretanto, precisamos frisar que a maioria das crianças precisará de outras intervenções cirúrgicas ao longo de sua vida para o tratamento de deformidades…

O acompanhamento da MM é multidisciplinar. Seguindo todas as orientações dos membros da equipe de assistência, é possível SIM garantir qualidade de vida para estas crianças.

O acompanhamento médico regular durante a gestação é fundamental para a identificação e tratamento da MM. Se você estiver pensando em ter um filho e tem fatores de risco conhecidos para espinha bífida, fale com um médico para verificar qual a melhor forma de prevenir que a criança nasça com algum problema na coluna vertebral!

As atividades físicas são ótimas para o nosso bem-estar, nos trazendo mais disposição, sensação de prazer, fortalecimento muscular, alívio do estresse, entre outras coisas.

Mas os exercícios de alto impacto podem causar dores, em especial, na região lombar pela distensão de estruturas que estabilizam as vértebras, ou pela ocorrência de microfraturas.

Exercitar-se é essencial e faz muito bem para a saúde, mas é preciso tomar cuidado com alguns exercícios que causam muito impacto em nossa coluna.

Pular Corda, Corrida em Alta Velocidade, Tênis, Ginástica Olímpica e Futebol Americano são as atividades que mais se associam a lesões da coluna vertebral.

Seguem algumas dicas para os amantes destas modalidades:
1- Fortalecer a musculatura paravertebral e abdominal é simples e fundamental na prevenção de lesões;
2- Alongar os isquiotibiais melhora a relação entre a pelve e a coluna vertebral, otimizando a biomecânica da junção lombossacral, o que também reduz a ocorrência de lesões;
3- Evitar Pular Corda retirando os dois pés do chão ao mesmo tempo reduz o impacto transferido dos membros inferiores para a coluna;
4- Nas Corridas, o impacto é diretamente proporcional à velocidade atingida; o fato de um pé sair do chão primeiro e depois o outro reduz consideravelmente o impacto; além disso a escolha do calçado adequado também pode diminuir os riscos desta atividade;
5- No Tênis, o impacto se produz repentinamente com os lances do jogo durante a rotação do tronco e a desaceleração; o aquecimento e fortalecimento da musculatura são fundamentais nesta atividade;
6- Na Ginástica Olímpica o atleta também deve aquecer os músculos com exercícios aeróbios leves; o aparecimento de dores não deve ser ignorada, pois lesões mais sérias podem ser evitadas;
7- Finalmente, no Futebol Americano, o uso dos equipamentos de proteção e a observância às normas que restringem o contato ilegal no pescoço e na cabeça ainda são as medidas mais eficazes na prevenção de lesões.

Independente da modalidade, para toda e qualquer atividade é sempre recomendada a avaliação de um especialista, especialmente quando já existem problemas identificados.